Paróquia de Ruivães. O que por cá se passa e muitos não sabem!

Sábado, 3 de Outubro de 2009
Festas

Ver AQUI a Festa do Aniversário da Tomada de Posse do Pároco

e AQUI Desfolhada no Centro Social Interparoquial de Campos, Ruivães e Salamonde

 



publicado por Padre às 18:36
link do post | comentar

Domingo, 12 de Julho de 2009
Hastear da Bandeira da Festa

Segundo a tradição, entretanto criada, uma vez que a Banda de Música de Vilarchão não pode animar o dia da nossa Festa Paroquial de Agosto, porque está ocupada na sua própria Freguesia, este ano, mais uma vez em dia de São Bento (ontem), ao regressar da Festa de São Bento de Sexta-Freita, em Montalegre, esta Banda de Música de Vilarchão fez uma paragem em Ruivães para o hastear da bandeira da Festa.

Tendo organizada a formatura, a Banda de música começou a tocar orquestrações apropriadas desde o Largo da Freguesia, contornando a Igreja Paroquial pelo Adro onde animaram os presentes com as suas músicas.

Fizeram a cortezia, entretanto tornada tradição, de passar pela Residência Paroquial e Mini-lar de Idosos para animar os residentes com mais algumas peças de música. Alguns acompanhantes aproveitaram para fazer mais uma das raras visitas aos residentes do Mini-lar (os Idosos).

Para terminar, a Comissão de Festas ofereceu um lanche aos músicos.

Ficam aqui algumas fotos para recordar esses momentos.

 



publicado por Padre às 19:20
link do post | comentar

Quarta-feira, 31 de Dezembro de 2008
SOLENIDADE DE SANTA MARIA, MÃE DE DEUS

ANO B
Dia Mundial da Paz
1 de Janeiro de 2009


Tema da Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus

Neste dia, a liturgia coloca-nos diante de evocações diversas, ainda que todas importantes.
Celebra-se, em primeiro lugar, a Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus: somos convidados a contemplar a figura de Maria, aquela mulher que, com o seu “sim” ao projecto de Deus, nos ofereceu Jesus, o nosso libertador.
Celebra-se, em segundo lugar, o Dia Mundial da Paz: em 1968, o Papa Paulo VI propôs aos homens de boa vontade que, neste dia, se rezasse pela paz no mundo.
Celebra-se, finalmente, o primeiro dia do ano civil: é o início de uma caminhada percorrida de mãos dadas com esse Deus que nos ama, que em cada dia nos cumula da sua bênção e nos oferece a vida em plenitude.
As leituras que hoje nos são propostas exploram, portanto, estas diversas coordenadas. Elas evocam esta multiplicidade de temas e de celebrações.
Na primeira leitura, sublinha-se a dimensão da presença contínua de Deus na nossa caminhada e recorda-se que a sua bênção nos proporciona a vida em plenitude.
Na segunda leitura, a liturgia evoca, outra vez, o amor de Deus, que enviou o seu Filho ao encontro dos homens para os libertar da escravidão da Lei e para os tornar seus “filhos”. É nessa situação privilegiada de “filhos” livres e amados que podemos dirigir-nos a Deus e chamar-lhe “abbá” (“papá”).
O Evangelho mostra como a chegada do projecto libertador de Deus (que se tornou realidade plena no nosso mundo através de Jesus) provoca alegria e felicidade naqueles que não têm outra possibilidade de acesso à salvação: os pobres e os marginalizados. Convida-nos também a louvar a Deus pelo seu amor e a testemunhar o desígnio libertador de Deus no meio dos homens.
Maria, a mulher que proporcionou o nosso encontro com Jesus, é o modelo do crente que é sensível aos projectos de Deus, que sabe ler os seus sinais na história, que aceita acolher a proposta de Deus no coração e que colabora com Deus na concretização do projecto divino de salvação para o mundo.



publicado por Padre às 18:08
link do post | comentar

Terça-feira, 16 de Setembro de 2008
Festas (religiosas?)

«É vergonhoso! É escabroso! É sacrílego!

Urge que as comissões de festas tomem medidas. Urge que os oárocos o impeçam. É imperioso que os bispos o proíbam e exijam. As festas religiosas - religiosas insisto - em honra do Senhor, de Nossa Senhora e dos Santos estão poluídas por uma música pimba, grosseira, ultrajante, de rés-do-chão, ofensiva da mais elementar sanidade mental, com um vocabulário prostituído, de sarjeta, eda mais baixa condição. Essas músicas intervalam as devoçãoes religiosas, antecedem e sucedem o Terço, a Eucaristia e as procissões.

Por favor, retirem já essa música! Criem um ambiente de ar puro e deixem de ultrajar o que nos resta de sagrado. Já! Urgentemente!»

In: O Jornal de Vieira, nº 838 de 15 de Setembro de 2008

 

«5- A programação de qualquer festa religiosa, seja na Igreja paroquial seja numa capela ou santuário, promovida quer por uma Comissão ou Mordomia, quer por uma Confraria ou Irmandade, deve ser feita em comunhão com o Pároco que, como primeiro e principal responsável por qualquer festa religiosa, deve ser sempre o elo de unidade e comunhão. Evite-se o esbanjamento de verbas em programas festivos com número exagerado de conjuntos, bandas, etc. tantas vezes em duplicado e amontoados, sem grande espaço no local e tempo para actuarem. Convidar por bairrismo, espírito de vaidade e de competição e porque se tem dinheiro, não deve ser o critério a utilizar. Satisfazer, com a programação feita, uma só camada etária da comunidade esquecendo a maioria do povo; gastar irresponsavelmente em festas estrondosas as esmolas dos fiéis, quando se sente a falta do mínimo de estruturas para um trabalho pastoral eficiente, ou há carências notórias nas populações; esquecer o espírito cristão e as dificuldades económicas gerais em que se vive, não é bom nem justo

   In: Orientações pastorais sobre festas religiosas

Braga, 4 de Janeiro de 2004, Festa da Epifania do Senhor.

D. Jorge Ferreira da Costa Ortiga
Arcebispo Primaz


publicado por Padre às 15:32
link do post | comentar

Sexta-feira, 12 de Setembro de 2008
O dinheiro nas Imagens Religiosas

Orientações pastorais sobre festas religiosas

  

«A Igreja estima e deseja as festas, pois fazem parte da existência humana e constituem uma das formas de viver e manifestar publicamente a nossa fé. Destinam-se a promover o culto devido a Deus, a Nossa Senhora e aos Santos e constituem um meio de são convívio, recreio e promoção cultural, na variedade das suas expressões.

  (...)

 Cada paróquia, nas suas várias instâncias de participação e corresponsabilidade, dever-se-á sentir na necessidade de reflectir, com sentido crítico e em esforço pedagógico, sobre as festas religiosas que promove, o que haverá nelas de menos bom ou abusivo, porque é que isso acontece e como proceder para que se conformem com o verdadeiro sentido cristão, a solidariedade social, a diversão sadia e a promoção cultural da comunidade.

Se as festas são religiosas, é evidente que devem ser promovidas por pessoas que tenham a vivência da fé, o sentido de Igreja, a estima do povo e a disposição de cumprirem as normas sobre as festas religiosas. Porque nem sempre assim acontece (...)

  

10- As procissões podem ser ocasião privilegiada de catequese. Contudo, para atingir esse objectivo, devem decorrer com dignidade e manter-se imunes de qualquer infiltração de manifestações pagãs, contrárias à doutrina da Igreja. Também elas têm de ser pensadas e preparadas. A improvisação e o desleixo banalizam e destroem. (...) É necessário que, sem desistir mas com prudência, se vá esclarecendo, onde ainda não se conseguiu acabar com esse costume, que não é de bom gosto nem de sentido evangélico afixar dinheiro nas imagens ou nos seus mantos (...)»

 

  
Braga, 4 de Janeiro de 2004, Festa da Epifania do Senhor.

D. Jorge Ferreira da Costa Ortiga
Arcebispo Primaz
 

  

Deixo aqui apenas esta imagem para servir de exemplo.

 



publicado por Padre às 23:33
link do post | comentar

Segunda-feira, 25 de Agosto de 2008
São Bartolomeu, 24 de Agosto

São Bartolomeu Apóstolo foi celebrado na Igreja Paroquial.

Imagem:Last judgement.jpg

In: pt.wikipedia.org

O diabo (o mal) anda à solta pelo meio do povo e S Bartolomeu (o bem) acaba por o prender.



publicado por Padre às 01:15
link do post | comentar

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

Festas

Hastear da Bandeira da Fe...

SOLENIDADE DE SANTA MARIA...

Festas (religiosas?)

O dinheiro nas Imagens Re...

São Bartolomeu, 24 de Ago...

arquivos
tags

todas as tags

links
as minhas fotos
Fazer olhinhos
subscrever feeds